quinta-feira, 16 de novembro de 2017
















Pequena menina, que só queria viver e tinha sede de conhecimento, exceto em álgebra mas, tudo bem eu a entendo. 
Pequena menina, que sonhava em ser escritora e que tinha a fé inabalável. Que transmitia sorriso e fazia poesia de forma adorável.
Pequena menina, que escrevia em seu diário, pois, ele era paciente. Nele ela se expressava, era o seu maior confidente. 
Pequena menina, que se tornou mulher em dois anos de confinamento, que descobriu o amor, que chorou de medo tudo isso em seu pequeno aposento. 
Pequena, Anne que se tornou grande diante do mundo, que fez muita gente chorar e se questionar: até quando tamanha maldade reinará? 
Sabe, Anne um desejo você conseguiu realizar, o de tornar a Holanda seu lar, porém, junto dela todos os outros lugares que através da sua história vieram a se emocionar.

De: Anna Carolinne 
Para: Anne Frank 📖❤

Oii literários! Bem, recentemente eu li o Diário de Anne Frank, finalmente. Fiz esse texto/poesia para ela como uma forma de agradecer por tudo que ela escreveu e pela pessoa que ela foi. 

Nossa, pode parece clichês mas, a Anne era incrível como pessoa e como escritora, como eu queria ler outra obra dela, ela era atenta aos detalhes, eu me sentia como se eu convivence com ela atraves das suas palavras e depoimentos. Porém, o que difere a Anne é o fato dela ser tão madura para a idade, apesar de tudo ela ainda acreditava nas pessoas e nunca perdeu a esperança e ela sabia o que queria e como sabia, se fosse preciso ela lutaria até o último momento para realizar seus sonhos. E não é que ela conseguiu. Com o Diário publicado, Anne pode compartilhar sua história com todos e sua paixão pela escrita. 

E sim, eu sorri com ela e chorei também e quando acabou fiquei sem entender por um tempo, apesar de saber o que tinha acontecido com ela. Como não se emocionar com essa história? Eu me perguntava o quando ela sofria nas noites de bombardeio, o quando ela sofria com o frio do inferno, com a falta de liberdade, o quando que ela chorava pelas pessoas que estavam morrendo e não se podia fazer nada sobre. Eu imaginei e nossa, ela era forte. Foi lindo ver ela crescer se tornar uma menina-mulher e ver ela se apaixonar então. Ahh Anne, obrigada por me fazer reconhecer os pequenos momentos. ❤

quarta-feira, 15 de novembro de 2017



"Não quero me aborrecer. Amor não se força. —"

"Himmelhoch jauchzend und zum Tode betrübt" serve perfeitamente para mim. Sinto-me Himmelhoch jauchzend, se penso como somos felizes aqui em comparação com outras crianças judias, e zum Tode betrübt, se acontece como hoje"

"O papel é paciente".

"Uma pessoa pode sentir-se isolada, mesmo sendo amada por muita gente, só pelo fato de não ser a 'única' de ninguém."

"Este diário tem um grande valor para mim, pois em muitos trechos é um verdadeiro livro de memórias; em outras páginas, porém, eu poderia escrever "passado e esquecido".

"Enquanto existir isso, enquanto eu estiver viva e puder contemplar este sol e este céu sem nuvens, enquanto isto existir, não poderei ser infeliz"."

"O melhor remédio para os que sentem medo, solidão ou infelicidade é ir para um lugar ao ar livre, onde possam estar sozinhos com o céu, a natureza e Deus. Só então a gente sente que tudo está como deve estar e que Deus nos quer ver felizes na beleza simples da natureza. "

"O melhor remédio para os que sentem medo, solidão ou infelicidade é ir para um lugar ao ar livre, onde possam estar sozinhos com o céu, a natureza e Deus. "

"Saia, vá para o campo, goze a natureza e o sol, vá para fora e tente recapturar a felicidade em si própria e em Deus. Pense em toda a beleza que ainda resta em você e à sua volta e seja feliz!"

"Descobri que sempre resta alguma beleza no sol, na natureza, na liberdade, em você mesma. Você se encontra consigo e com Deus e retoma o equilíbrio."

"E quem é feliz, faz feliz os outros. Aquele que tem fé e coragem jamais perecerá na desgraça. "

"Eu amo a Holanda. Eu, que, não tendo país natal, esperava que a Holanda pudesse se tornar minha pátria. Ainda tenho esperança de que assim seja. "

"Que venha o fim, por pior que seja; pelo menos havemos de saber se vencemos ou perdemos. Sua Anne."

"Mas um de meus ditados favoritos é 'Onde há fumaça, há fogo', e eu admito tranqüilamente que sou sabichona."

"Todos nós vivemos, mas sem saber o porquê nem o para quê. Vivemos todos com o objetivo de ser felizes. Nossas vidas sã"

"As pessoas que têm religião devem alegrar-se, pois nem a todos é dado o dom de acreditar nas coisas divinas."

"Que maravilha se as pessoas, todas as noites, antes de dormir recapitulassem mentalmente os acontecimentos do dia que passou e considerassem o que haviam feito de bom e de mau. Então, mesmo sem perceber, tentariam aperfeiçoar-se, ao começar um novo dia; é claro que se consegue muito, com o correr do tempo. Qualquer um pode fazer isso, não custa nada e, certamente, ajuda muito. Quem não sabe precisa aprender a descobrir, pela experiência, que 'uma consciência em paz torna as pessoas fortes'."

"Sofro com o sofrimento de milhões e, no entanto, se levanto os olhos aos céus, sei que tudo acabará bem, toda essa crueldade desaparecerá, voltarão a paz e a tranqüilidade."

domingo, 12 de novembro de 2017


Tem muitos lançamentos da editora! Por isso, para esse post não ficar tão imenso resolvi falar somente de 3 lançamentos. Se vocês quiserem saber sobre os outros é só acessar o site da editora arqueiro, okay? 

1- A PEDRA PAGÃ - NORA ROBERTS 

     Muito feliz com o lançamento do último livro da Trilogia- A Sina do Sete (e muito triste também porque vai acabar). Para quem não sabe a trilogia conta a historia de três meninos/amigos que resolveram acampar na floresta de Hawkins, onde se encontrava a famosa Pedra Pagã. Lá eles realizaram um pacto de sangue, depois disso coisa sobrenaturais começaram a acontecer a cada sete anos e eles eram os únicos que podiam ver. Bem, é praticamente isso. O primeiro livro se chama Irmãos de Sangue, o segundo a Maldição de Hollow e o terceiro, e último, A Pedra Pagã.
      Não cheguei a ler o segundo, apenas o primeiro, inclusive no blog tem a resenha dele. Se você já leu algum desses livros deixa nos comentários, por que eu quero papear com você.
     

Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.

 A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.

Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.

Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.

2 - ORIGEM - DAN BROWN

Ahh, e mais uma história de Robert Langdon (o professor mais amado). Ele que já foi para o Vaticano, Veneza e outros lugares, e essa nova aventura terá os seus olhos voltados para a Espalha. Livros como O Código da Vinci, Anjos e Demônios e Inferno contam as aventuras desse professor de simbologia. 
O livro mais aguardado por mim ❤

fhj

Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”.
O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana.
Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre.
Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch.
Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo.
Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.
3- A IRMÃ DA PÉROLA 
É o quarto volume da série As Setes Irmãs, fala sobre amor. O primeiro livro é As Setes Irmãs, leva o nome da série, o segundo é A Irmã da Tempestade, o terceiro é A Irmã da Sombra e o quarto é A Irmã da Pérola, o atual lançamento. Quem já leu algum livro dessa série? 
Ceci D’Aplièse sempre se sentiu um peixe fora d’água. Após a morte do pai adotivo e o distanciamento de sua adorada irmã Estrela, ela de repente se percebe mais sozinha do que nunca. Depois de abandonar a faculdade, decide deixar sua vida sem sentido em Londres e desvendar o mistério por trás de suas origens. As únicas pistas que tem são uma fotografia em preto e branco e o nome de uma das primeiras exploradoras da Austrália, que viveu no país mais de um século antes.
A caminho de Sydney, Ceci faz uma parada no único local em que já se sentiu verdadeiramente em paz consigo mesma: as deslumbrantes praias de Krabi, na Tailândia. Lá, em meio aos mochileiros e aos festejos de fim de ano, conhece o misterioso Ace, um homem tão solitário quanto ela e o primeiro de muitos novos amigos que irão ajudá-la em sua jornada.
Ao chegar às escaldantes planícies australianas, algo dentro de Ceci responde à energia do local. À medida que chega mais perto de descobrir a verdade sobre seus antepassados, ela começa a perceber que afinal talvez seja possível encontrar nesse continente desconhecido aquilo que sempre procurou sem sucesso: a sensação de pertencer a algum lugar.


Siga-me @milvidasblog